9 de junho de 2007

Jogar às Escondidas

Em tempos que já lá vão, tínhamos, entre outras brincadeiras, a mania de jogar às escondidas. Jogávamos habitualmente nos jardins, hoje apelidados de jardim das meninas e jardim dos meninos, onde nos divertíamos bastante. Lembro-me do Milhano a esconder-se em cima dos ferros do nosso jardim, deitando-se ao longo destes para passar despercebido, ou do Pedro a esconder-se debaixo dos bancos e outros atrás dos carros estacionados, em cima das árvores, subindo por vezes o equivalente a dois andares, no meio dos “picos”, na zona do Museu de Marinha, no Jardim de Belém, na linha dos eléctricos e até em casa. Em casa ?
Sim, recordo-me de uma vez, e não foi a única, em que estávamos a jogar ao dito jogo, era de noite, e como já era tarde alguém disse, sem que o nosso amigo que estava a apanhar percebesse, “Tive uma ideia, vamos todos para casa e não lhe dizemos nada”. É claro que foi uma excelente ideia e de imediato todos concordaram. Imaginem o filme de quem estava a apanhar..., o riso de quem foi para casa... e o dia seguinte...
Apesar de tudo, continuámos todos amigos.


Zeca

3 comentários:

Milhano disse...

Que produção de textos tão surpreendente e que fantástica memória. Vamos ver se o blog ganha mais alguns colaboradores. Eu vou tentar voltar.

dzp disse...

Lembram-se de quem estou a falar ?
zeca

Luis disse...

Se bem me lembro também havia alguém que normalmente não descobria sequer quem se deitava no chão no meio do jardim... Realmente com algum estimulo, apesar da idade ( :-),a memoria ainda funciona.